top of page
  • Foto do escritoradmin

CLASH MUSIC: O SOM DE MILEY EM 360 GRAUS

Em terceira resenha crítica do novo álbum de Miley, "Endless Summer Vacation", o Clash Music avalia o lançamento como "o som da Miley em 360º, verdadeiramente dona de sua vida e identidade," e o atribuíram 8/10 pontos! Confira a tradução do texto abaixo:


Por trás da persona festeira, Miley Cyrus sempre tentou se encontrar. Desde o profundamente experimental 'Miley Cyrus & Her Dead Petz' de 2015 até a joia glam rock de 2020 'Plastic Hearts', Cyrus sempre perseguiu novas paletas sonoras, com fome de reinvenção. O último lançamento de Cyrus, no entanto, pode ser seu estágio evolutivo final; onde empreendimentos anteriores dependiam de pastiche, 'Endless Summer Vacation' é uma trilha sonora de autodescoberta descarada.


Embora a bolha das 'Férias de verão sem fim' seja tenra, é incrivelmente realista. A abertura “Flowers” age como um disfarce, uma fachada segura, antes que o álbum realmente rompa a superfície. A jornada do álbum é quase uma reformulação das visões ingênuas e pegajosas de amor e desgosto de Cyrus aos 16 anos retratadas em '7 Things'; com uma compreensão desiludida e mais madura do amor, as reflexões de Cyrus sobre a colheita de pétalas de flores de "Eu o odeio, eu o amo, eu o amo ..." se transformam em "Eu o odeio, eu o amava, eu me amo".


Assim que o buquê comprado por Cyrus é deixado de lado, as comportas da auto-exploração são abertas. 'Jaded' e 'Rose Colored Lenses' realmente parecem infinitas, faixas transbordando com uma liminaridade brilhantemente legal e beijada pelo sol. Há uma vulnerabilidade tonta em faixas como essas, algo exposto, mas que se afoga na doçura açucarada da dor. É Cyrus se permitindo machucar, nunca fingindo que essas emoções não existem.


A vulnerabilidade também é explorada nas faixas mais centradas nos vocais do álbum. 'You' é um exemplo notável das habilidades vocais de Cyrus, mostrando o quão forte, sombria e doce sua voz realmente é. Embora seus hinos de pista de dança tenham feito um nome para ela ao longo dos anos, esses vocais country são feitos sob medida para um doce e reflexivo canto de blues. A performance de Cyrus lembra Sheryl Crow e até mesmo Gabrielle às vezes, fundindo-se em algo rico e profundamente emotivo. Uma sensação semelhante é capturada em Wildcard, novamente focando principalmente na voz de Cyrus. Com os vocais frontais e centrais e linhas sombrias como “você quer brincar de casinha, eu posso ser sua esposa, vou encontrar sua mãe em um vestido muito apertado”, a faixa dá as boas-vindas em um senso de autoaceitação; Cyrus sabe que para alguns ela pode ser opressiva, 'demais', um 'curinga, mas isso é algo que ela não pode mudar. “Amar você nunca é o suficiente”, canta Cyrus, percebendo que amar a si mesma é mais importante, e livrar-se do peso daqueles que deixam pegadas lameadas ('Muddy') em sua vida é uma parte fundamental de seu crescimento.


Além das reflexões sombrias, o álbum também tem alguns momentos fascinantes de synth-pop chamativo – afinal, estamos em férias de verão, e Cyrus quer que soltemos um pouco os cabelos. 'River' serve como uma música dance-pop pulsante a la era 'Can't Be Tamed', embora deixando você desejando que tivesse apenas um minuto a mais para realmente se divertir. 'Handstand' é igualmente hipnótica em seu fluxo de sintetizadores, quase experimental, com vocais se fundindo na textura da faixa, enquanto 'Violet Chemistry' também assume uma sensação amigável de pista de dança, apesar de assumir uma sensação de sintetizador mais lenta e moderada.


Talvez o melhor momento do álbum venha na forma de sua faixa final, no entanto. Mais uma vez, Cyrus troca a persona dance-pop coberta de lantejoulas por algo honesto e cru - uma faixa esperançosa e séria com foco em quem ela quer acreditar que é. 'Mulher Maravilha' é uma declaração de missão, uma promessa para si mesma. É quase uma homenagem a 'She's Always A Woman' de Billy Joel, com foco na mulher que Cyrus sempre prometerá se ver no futuro. Abrir e fechar duas faixas que lembram faixas escritas por homens parece uma reivindicação pontual – uma reescrita da feminilidade através de uma lente feminina genuína, para elevar e explorar o que é realmente ser uma mulher desprezada e, finalmente, uma mulher reformada.


‘Endless Summer Vacation’ é a jornada de uma mulher se tornando uma mulher maravilha. É um álbum que aceita o passado, e se permite seguir mais forte. Embora os lançamentos anteriores tenham Cyrus tentando vestir a roupa de outra artista que ela admira, neste lançamento parece que ela está incorporando totalmente sua própria pele - este é um lançamento que visa a atemporalidade por si só, permitindo que a verdadeira e não filtrada Miley Cyrus dê um passo para a luz do sol.


Comments


bottom of page